terça-feira, 12 de maio de 2009

Paradoxos te fazem parecer cult

A receita pra uma frase de MSN super cool/descolada, ou um "Quem sou eu" supimpa pra uma rede social genérica é escrever um paradoxo qualquer. Por algum motivo, paradoxos atraem as pessoas. Eles tem um efeito muito interessante de deixá-las desconsertadas, atônitas com a própria incapacidade de entendê-los. De qualquer forma, toda sentença paradoxal tem o efeito de mexer fundo na cabeça de quem lê.

Paradoxos são falhas na linguagem que induzem a contradições lógicas. Ou seja, verdades de pé sobre as próprias cabeças. Acho que eles nos fascinam tanto porque vivemos mergulhados em paradoxos. Somos homens que não entendem o que é virilidade, mulheres que não sabem o que uma mulher deve fazer, sentimos e pensamos sem conseguir definir sentimento e pensamento e, meu preferido, somos seres morais em um mundo onde a moral e princípio resistem a conhecer conteúdo.

Afinal, os paradoxos que refletem os distúrbios dentro de todo mundo acabam virando estampa de quão legal você é, um jeito de parecer inteligente, já que ninguém será capaz de entender essa frasezinha contraditória que te define. É como aquela história da roupa do rei, que só os inteligentes podem ver. Só que mais legal, porque todo mundo vive seus próprios paradoxos. Então vai por mim, cola que é sucesso.

9 comentários:

Natália disse...

Se eu fosse uma figuara de linguagem, seria uma hipérbole ou, como todo mundo imagino eu, um paradoxo.
Agora sucesso cibernético é só colocar uma foto pagando peitinho, aposto que funciona mais que o paradoxo.
Eu prefiro o paradoxo.

Rábula disse...

Post de hoje: Manual hipócrita para chamar atenção alheia.

Aprenda a parecer uma pessoa inteligente, essa é a sua chance de impressionar cocotos e cocotas!

Ps: de acordo.

V. disse...

"Agora sucesso cibernético é só colocar uma foto pagando peitinho, aposto que funciona mais que o paradoxo.
Eu prefiro o paradoxo."
é por isso que eu amo a Natália.

Poeta Idealista disse...

Sou uma mulher que não sabe cozinha!
Mas em minha defesa, hoje em dia não é tão necessário e eu ainda posso aprender.

Falando em "about" no orkut, um trocadilho meu que eu gostava muito e até achava, diria, genial era: "prefiro ser uma idiota qualquer do que uma qualquer idiota" aheuoaiuehae

V. disse...

agora um comentário meu:
adorei o post, é uma ótima receita pra parecer cult (falo por experiência própria). agora acho que pra parecer mais cult ainda, só fazendo um post sobre o que se pode fazer pra parecer cult. mais um paradoxo? é, pode ser.
acho que o ápice, o topo, o orgasmo da fineza de um cult é ficar calado perante esse tipo de coisa. diz aí, isso sim é ser blasé.
minha mãe diz que quem desdenha é porque quer comprar. acho que "criticar" esse tipo de coisa, fazendo ironia, me faz pensar que de duas, uma: ou a pessoa queria ter pensado antes numa frasezinha idiota que está num about do pseud-cult, mas não teve a capacidade ou ela gosta tanto da pessoa que tem essa frasezinha idiota, mas não tem capacidade para tê-la e desdenha(só proque quer comprar mesmo).
by the way, ótimo post.
beijos, homem do rá.

Rábula disse...

é isso aê, como diria o poeta: - Quem desenha quer comprar!

Comentador Fiel disse...

Quem desenha quer vender não?

ps: seria um pleonasmo.

ps²: me lembrou do paradoxo do Depp.

Dark Prince disse...

Este tópico está além das minhas capacidades de processamento e argumentação.

RamX disse...

meu sistema de me sentir cool é utilizar de sentenças egoístas!