quinta-feira, 26 de março de 2009

Só mais um jeito de dizer adeus.

É engraçado falar isso, porque eu nunca disse adeus antes. E agora digo justo a você que era tão importante pra mim e que, no fim das contas, vai continuar por perto.

Foi um tanto quanto difícil te derrubar do pedestal em que eu te havia posto. Fazer de você um vulto sem cor, assim como todos os outros. Esquecer não é uma coisa fácil, nem algo a que eu esteja tão acostumado.

Às vezes eu imaginava se você de vez em quando lembrava de mim. Se no meio de uma tarde preguiçosa você se pegava subitamente pensando em mim. Será que ao menos um instante você considerou como tudo poderia ter sido? Na verdade acho que não. E pra ser sincero, creio que você nunca vai se arrepender do jeito que tudo terminou. Nem eu.

Eu te fiz promessas, e mesmo que você as esqueça, eu não vou. Nunca esqueço minhas promessas. Ao menos até onde me recordo. De qualquer forma valeu a pena. Sempre vale.
Enfim, tudo um dia vira história, eu vou esquecer seu nome e você não vai mais ligar em perguntar sobre mim. Mas tá tudo bem, é a vida. De qualquer jeito, eu me diverti.
Então adeus. Boa noite e boa sorte.

7 comentários:

Comentador Fiel disse...

Tudo, tudo mesmo, tem uma probabilidade infinitamente maior de dar errado do que dar certo.

Mas isso não quer dizer que não valha a pena.

Não tem nada a ver com o post, mas sei lá.

John, O Lobo disse...

Taí uma diferença entre nós champz, pra vc as probabilidades são dadas, pra mim elas não são pre-determinadas.

Acho que elas dependem, e muito, das escolhas que você faz. Acho minha visão vantajosa pq me incentiva a ver os pontos onde eu errei, principalmente nesse adeus que demorou tanto a sair, e fazer melhor agora e daqui pro futuro.

Rábula disse...

Uma menina vai ao super mercado ajudar sua mãe. Um homem que trabalha em uma agência de modelos por acaso está lá, vê a garota e faz um convite para que ela faça um testa em sua agência. Um ano depois ela se torna a modelo mais fotografada do mundo. Tem dinheiro para gastar em 4 gerações, tem sucesso profissional e sente que nasceu para ser modelo. Casos como esse não são tão raros de acontecer.

Um pirralho joga futebol todo dia num campinho de barro perto de sua casa. Jamais passou por sua cabeça ser um jogador profissional. Mas, por acaso, um olheiro foi visitar um amigo que mora perto daquele campo de barro. Ao chegar vê crianças jogando bola e resolve dar uma olhada. Fica encantado com o tal garoto, e o leva para um teste num clube grande. O garoto se torna o melhor jogador do mundo por 3 vezes, campeão mundial com a seleção brasileira e tem dinheiro para gastar em 8 gerações. E se diz o homem mais feliz do mundo. Casos como esse não são tão raros de acontecer.

A menina foi ao super mercado e o garoto jogava futebol com os amigos pq gostava. Concordo se alguém disser que existem outros milhões de garotos e garotas muito mais preparados para essas profissões e que sequer foram vistos, e morrerão sem ser. Minha intenção é ilustrar como nem tudo pode ser controlado ou ao menos influenciado; preparado; moldado. E que há, sim, casos em que a sorte prevaleceu soberana.

Concordo com o que você disse sobre as pulseiras na praia. Mas essas história de trabalhar com possibilidades não é absoluta.

Comentador Fiel disse...

Pelé foi reprovado 3 vezes em peneiras.

fikdik quanto a sua teoria de que a sorte não influencia tanto assim.


não passa pela minha cabeça um ser tão pequeno controlar algo que mude todo o universo. Acho uma supervalorização muito grande.

RamX disse...

É tudo culpa daquela madame, a tal Lady Murphy ;D

Lipsticks* disse...

Dizer adeus às vezes nem é tão complicado assim.
muiito bom esse blog!

Ilana Kenne disse...

"Pra ser sincero não espero de vc
Mais do que educação"

Me lembrou essa música.

às vezes dizer adeus é mais fácil do que a gente pensa. Principalmente quando a gente já tem um novo "Eu te amo" pra dizer.
(Não que isso tenha acontecido comigo, é só uma divagação)