segunda-feira, 21 de julho de 2008

Probabilidade igual a 1

Tem um verso no poema "Pneumotórax", de Manuel Bandeira, que me chamou muito a atenção da última vez que eu o li. Ele diz: "A vida inteira que podia ter sido e que não foi". Não sei, mas esse verso é diferente do resto do poema. Ele quebra o ritmo de alguma forma.

O que podia ter sido.

Essa frase me faz pensar em tanta coisa de uma vez...
Bandeira escreveu isso em referência à sua própria vida e, principalmente, à sua infância, cercadas de cuidados, em decorrência da saúde frágil. O poeta foi privado de quase tudo o que costumamos chamar de diversão. Mas quando eu li esse verso, lembrei de algo que eu escrevi num passado tão distante que nem lembro mais quando foi. Quando eu era apenas um garoto bolinho nerd tentando escrever um RPG. Na minha história, um general élfico passava algumas décadas vivendo entre a jovem raça dos humanos. Quando volta para o reino dos elfos, descreve os humanos, ao seu rei, dessa forma:

"Os Homens têm seu coração incompleto; eles precisam sempre buscar algo que não entendem ou não podem alcançar"

A minha inspiração para essa linha vem de uma fonte bem mais... nobre. No Senhor dos Anéis, Elrond tenta dissuadir sua filha, Arwen a se casar com o humano Aragorn dizendo algo como "A vida dos homens é brilhante a seus olhos, mas breve desvanesce. Embora eles pareçam grandes, suas vidas acabam sendo apenas como um sonho do que poderia ter sido e não foi". Não lembro bem, porque faz tempo que li o SdA pela última vez e não achei a passagem quando procurei. Enfim, isso marcou minha vida e foi lá que eu comecei a pensar, o que poderia ter sido?

E se eu não tivesse passado no vestibular em julho de 2006? Ou se eu escolhesse outro curso? E se eu tivesse conseguido o que eu procurei por dois anos no ensino médio? E se, um pouco mais tarde, eu tivesse dado mais valor a quem gostou de mim? E se eu tivesse feito o Pas pra Direito e passado? E se tivesse dado certo agora? E se... e se... e se....

Outro livro que li na minha pré-adolescência nerd-tetuda foi Crônicas de Nárnia. Tem uma parte, em algum dos livros, em que o leão Aslam diz: "Não pense no que poderia ter acontecido. É impossível saber se algo teria sido diferente". Ou algo assim.

Acho que não. Sei lá, ainda tendo a ver uma sombra de planejamento no modo como as coisas seguem.
E qual a lição que tiramos disso?

John leu literatura de fantasia demais.

7 comentários:

John, O Lobo disse...

Recados da paróquia:

Nunca andei segurando uma plaquinha de otaku.

Gustavo, e se quando a cocota perguntou se eu sabia tudo, eu respondesse: Não sei seu telefone gatchenha!
?

(Hauahuha lembrei disso agora!)

Chimi disse...

ainda bem q john leu literatura de fantasia demais. Acredito q coisas poderiam ser diferentes(ou pelo menos desejo isso),mas ja q fizemos as escolhas q chegaram ao ponto em q estamos vamos aproveitar e/ou fazer novas escolhas pra mudar e chegar a um novo ponto em q vamos reclamar de qualquer jeito ,pois homens nunca estao satisfeitos

Lee disse...

o melhor eh o fim
john leu fantasias demais
kkk
o texto mo reflexivo.. kkk
serio vc tocou num assunto q eu tb acho mttt estranho d pensar
e essa frase desse poema do bandeira eh mt fera
eu sempre amei..
nooo altos momentos viajantes pensando nela tb kkk

bjo john
eita to fa msmo hein
kkk

Comentador Fiel disse...

aheuhuehahuehuauhaehueauh

você teria usado a melhor cantada que eu já fiz na vida.

eu sempre faço as escolhas erradas, se eu fosse pensar nisso eu seria bemmmmmmmm mais depressivo do que eu sou.

Comentador Fiel disse...

e se o Japa tivesse pegado a americana quando ela esfregou a bunda nele?

Nanda disse...

E se eu tivesse feito Psicologia?
E se eu morasse em São Paulo?
E se a gente não tivesse nem se conhecido?

Não sei, não tenho máquina do tempo. Mas sei que perderia muita coisa se fizesse tudo diferente. Ganhariai outras? É possível.

=***

Nanda disse...

... OR NOT